Os solos não são todos iguais. Eles podem parecer iguais na sola do seu sapato, mas sob um microscópio, a história é diferente. Raízes de plantas, pequenos insetos e outros fatores diferenciam um solo de outro. Cientistas da área avaliam diferentes aspectos do solo — quanto ar ele contém, como ele retém água e calor, entre outros – para determinar se ele é mais adequado para um uso específico. Essas são as propriedades físicas do solo.

Qualidade do solo é a capacidade de ele fornecer à planta o que ela precisa para crescer da melhor maneira

Quando se quer construir ou plantar nesse solo, é importante conhecer suas muitas propriedades físicas. A água flui através do solo, ou escorre por sua superfície? Com que velocidade? Com que facilidade as raízes e equipamentos agrícolas o atravessam? Solos sustentam plantações, florestas, produção animal, urbanização, silos, barragens, estufas, entre outros.

Robson Armindo, professor do Departamento de Solos e Engenharia Agrícola da Universidade Federal do Paraná (UFPR), queria compreender melhor as interações entre solo, ar e água. Para isso, ele trabalhou com Ole Wendroth, professor da Universidade de Kentucky (EUA), no artigo “Physical soil structure evaluation based on hydraulic energy functions“, publicado na Soil Science Society of America Journal.

“Por ter uma personalidade interrogativa, era difícil usar um índice genérico de qualidade física do solo sem saber sua origem e processo”, diz Armindo. “Isso despertou minha curiosidade para avaliar muitos outros fatores em uma análise”.

Para produção agrícola, Armindo define a qualidade do solo como a capacidade de um dado solo de dar à planta tudo o que ela precisa para crescer da melhor maneira possível. Uma produção bem sucedida depende de uma boa combinação de solo.

“Por exemplo, em condições de agricultura irrigada, o melhor tipo de solo pode ser um solo arenoso em vez de um argiloso”, explica. “O produtor deve levar em conta o objetivo, o tipo de cultura e o clima para determinar se o solo tem qualidade física adequadas ou não”.

Variáveis da fórmula buscam representar relação do solo com a água presente nele e o ar

Mas o que faz um solo ser de ótima qualidade? A estrutura do solo pode mudar de acordo com a safra, clima e o uso da terra em questão. Ainda, os solos diferem bastante com o espaço e com o tempo. Essa variabilidade dificulta o processo.

Aplicação da fórmula pode ajudar a entender se um solo seria adequado para agricultura ou projetos de construção

Armindo e Wendroth combinaram essas informações em equações matemáticas que combinam cinco parâmetros de energia e duas funções de energia hidráulica. As variáveis buscam representar fatores como retenção de água e as trocas com o ar. Eles testaram sua teoria em diferentes solos na Alemanha, Brasil e Estados Unidos e viram que as equações funcionavam.

O método dos pesquisadores para avaliar a qualidade física do solo pode ser feito em qualquer solo. Ele seria útil, por exemplo, para entender se um solo seria adequado para agricultura ou a uma fundação para projetos de construção. Essa avaliação pode poupar tempo e dinheiro, e evitar que se escolha um solo desvantajoso para a produção.

“Com a informação resultante das equações, é possível decidir como usar um solo específico”, explica Armindo. “Essa informação, somada a outras propriedades físicas, químicas e biológicas, permite ao agrônomo ou gestor da terra decidir pelo melhor uso e gerenciamento desse solo”.

📖 Publicado originalmente na Revista Ciência UFPR (V. 1, nº 2, 2016).
Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.