<span class=Serrapilheira lança edital da 6ª chamada para jovens cientistas; inscrições abrem em 28/10 Serão selecionados até dez jovens cientistas com perguntas que contribuam para o conhecimento fundamental em ciências naturais, ciência da computação e matemática" title="Serrapilheira lança edital da 6ª chamada para jovens cientistas; inscrições abrem em 28/10 Serão selecionados até dez jovens cientistas com perguntas que contribuam para o conhecimento fundamental em ciências naturais, ciência da computação e matemática" decoding="async" fetchpriority="high" srcset="https://ciencia.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2022/09/Serrapilheira.jpg 1920w, https://ciencia.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2022/09/Serrapilheira-300x169.jpg 300w, https://ciencia.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2022/09/Serrapilheira-1024x576.jpg 1024w, https://ciencia.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2022/09/Serrapilheira-768x432.jpg 768w, https://ciencia.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2022/09/Serrapilheira-1536x864.jpg 1536w" sizes="(max-width: 1920px) 100vw, 1920px" />
Serrapilheira/Reprodução

O Instituto Serrapilheira lançou no último dia 31 o edital com as regras da sua 6ª chamada pública de apoio à ciência. O edital completo, com check list para maior compreensão sobre os critérios, pode ser conferido aqui. O prazo para inscrições está agendado para o período de 28 de outubro a 28 de novembro.

Serão selecionados até dez jovens cientistas com grandes perguntas que contribuam para o conhecimento fundamental em ciências naturais, ciência da computação e matemática. Os grants vão variar de R$ 200 mil a R$ 700 mil, a serem utilizados ao longo de cinco anos.

Os selecionados terão acesso, ainda, a recursos extras — até 30% do grant recebido — para investir na formação e integração de pessoas de grupos sub-representados em suas equipes. O novo edital do Serrapilheira vai oferecer, no total, até R$ 9,1 milhões aos jovens cientistas.

Candidatos devem ser concluído o doutorado entre 2015 e 2020

O objetivo da chamada é apoiar jovens cientistas que proponham grandes perguntas em suas áreas de atuação. A seleção acontece em duas fases. Na primeira, os candidatos enviam uma pré-proposta, que será avaliada por revisores internacionais. A partir daí alguns serão chamados para submeterem a proposta completa. A etapa final inclui uma entrevista em inglês com os proponentes.

Os candidatos deverão ter vínculo permanente com alguma instituição de pesquisa no Brasil e ter concluído o doutorado entre 1º de janeiro de 2015 e 31 de dezembro de 2020. Esse prazo é estendido em até dois anos para mulheres com filhos.

A chamada pública traz novidades em relação aos anos anteriores. Uma delas é que o candidato deve detalhar o risco do seu projeto a partir de três definições propostas pelo Serrapilheira: o risco de concepção, relacionado à formulação da hipótese do projeto; o risco de abordagem, que diz respeito à escolha metodológica; e o risco técnico, ligado à obtenção dos dados.

Segundo o instituto, o risco é próprio de projetos ousados e o objetivo do detalhamento é mensurar como escolhas podem dar errado e o que o pesquisador pretende fazer caso isso aconteça.

Desde 2021, o Serrapilheira mantém parcerias com o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e outras 21 fundações de apoio regionais, entre elas a Fundação Araucária, no Paraná. Isso significa que essas fundações ficam atentas aos projetos submetidos e podem apoiá-los por contra própria ou de forma conjunta com o Serrapilheira.

🔊 Com informações do Instituto Serrapilheira
Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *